SOLO VIVO | Associação SOLO VIVO aposta na constituição de Zonas de Intervenção Florestal no concelho de Tondela
UA-102017239-1
16565
post-template-default,single,single-post,postid-16565,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

Associação SOLO VIVO aposta na constituição de Zonas de Intervenção Florestal no concelho de Tondela

Associação SOLO VIVO aposta na constituição de Zonas de Intervenção Florestal no concelho de Tondela

A SOLO VIVO – Associação para a Promoção do Desenvolvimento Local, Rural, Agrícola Florestal e Ambiental, tem vindo a desenvolver, desde 2015, todo o processo conducente à constituição de Zonas de Intervenção Florestal, também conhecidos como “condomínios” florestais, no concelho de Tondela. O objetivo passa por ajudar os proprietários a travar alguns problemas graves que afetam a propriedade florestal daquele vasto território, composto por 19 freguesias, designadamente as questões relacionadas com a defesa da floresta contra incêndios e a luta contra pragas e doenças, como é o caso do nemátodo da madeira do pinheiro, que ameaça a floresta de pinho existente no concelho. Reconhecendo que parte destes problemas advém das características da propriedade, altamente retalhada ao longo de décadas, mas também do consequente abandono a que têm estado votadas as terras, a SOLO VIVO tem vindo a apostar na criação de ZIF’s neste território, tendo já concluído, em julho deste ano, o processo de constituição da ZIF Tondela Sul, que abrange as freguesias de Campo de Besteiros, Castelões, Dardavaz, Molelos, Tonda, União de Freguesias de Barreiro de Besteiros e Tourigo, União de Freguesias de Mouraz e Vila Nova da Rainha e União de Freguesias de Tondela e Nandufe, num total de 6729 hectares de espaços florestais e mais de 400 aderentes.

Com um histórico recente de grandes incêndios e uma boa parte dos espaços florestais sem qualquer utilização, consequência da ausência e absentismo dos proprietários, devido essencialmente ao fenómeno da emigração, o concelho de Tondela é para a SOLO VIVO um território “onde há muito para fazer” nesta área. Carla Godinho, presidente da Direção da Associação que tem liderado todo este processo junto do ICNF, esclarece que apesar das Zonas de Intervenção Florestal terem uma “lógica comum” de gestão dos espaços florestais, “as propriedades continuam a ser dos seus proprietários”. Simplesmente, “há problemas comuns, há questões que não podem ser vistas de forma individualizada devido à diminuta dimensão da propriedade ”, adianta. Além disso, “os proprietários não pagam nada por aderir, nem por fazer parte de uma ZIF, pelo contrário, se forem aderentes estão isentos de IMI e IMT nas transações”, lembra a presidente da SOLO VIVO, fazendo notar que estas áreas são consideradas “prioritárias” nos apoios públicos, nomeadamente no que se refere a projetos de defesa da floresta contra incêndios e luta contra pragas e doenças. Apostada em ajudar a resolver os problemas da floresta no concelho de Tondela, fustigado nos últimos anos com grandes fogos florestais, a SOLO VIVO tem em marcha o processo de constituição de mais duas ZIF neste território: a ZIF Tondela Norte e ZIF Tondela Este.

Share